learnex

Guilherme Gontijo Flores

GUILHERME GONTIJO FLORES

 

Guilherme Gontijo Flores (Brasília, 1984) é poeta, tradutor e professor na UFPR; autor do livro brasa enganosa (Patuá, 2013, finalista do Prêmio Portugal Telecom de poesia) e do poema-site Tróiades - remix para o próximo milênio (www.troiades.com.br). Publicou traduções de As janelas, seguidas de poemas em prosa franceses, de Rainer Maria Rilke (em parceria com Bruno d'Abruzzo), d'A anatomia da melancolia, de Robert Burton, em 4 volumes (prêmios APCA e Jabuti de tradução), e das Elegias de Sexto Propércio. Participa do blog coletivo escamandro (www.escamandro.wordpress.com).

 

 

Contatos:

Skook de Algarobas Urbanas

 

 

 

Conheça 05 poemas do projeto Tróiades - remix para o próximo milênio, de Guilherme Gontijo Flores:

(todos os poemas estão disponíveis no site www.troiades.com.br)

 

Umbral


Mas que membros nos deixa o precipício?
Ossos despedaçados
soltaram-se na queda
a marca ilustre do seu corpo
o rosto os traços de um pai nobre
tudo o baque sobre a funda
terra confundiu
no tombo seu pescoço se quebrou
a cabeça aberta exalava
o cérebro
.....jaz um
corpo sem formas
Nisso também
igual ao pai

[S 1110]

***

 

O bom soldado


Ao menos te poupei de uma aflição
ao cruzar as correntes do escamandro
lavei o cadáver
limpei ferimentos

Agora vou cavar a sua cova
para que juntos terminenos
o teu o meu interesse
e logo volte o barco para casa


[T 1155]

 

***


Puerilia


Nenhuma lei poupa o vencido
ou veta seu castigo

e agora você diz que nefasto
seria imolar as virgens?

(S 333, 331)

***

 

Puerilia


Morreu como morreu
porém melhor
do que eu que vivo

Sina abençoada

A morte é a primeira
a fugir dos desgraçados

[S 954]

***


A coisa mais bela


Pra que chamar os deuses
se nunca ouviram
quando chamados?
Vamos correr ao fogo
que hoje a coisa mais bela
é morrer na pátria incendiada

O sol breu sobre o céu gris
e a chama não impede
a cobiça nas mãos do vencedor

Vai pé caduco
como puder para saudar
tua cidade arruinada

[T 1280, 1275. S 17]

 




 

Conheça 03 poemas do livro Brasa enganosa, de Guilherme Gontijo Flores

 

 

NÃO BASTA O RIO     murmúrio
adocicado das águas
rumo certeiro     transparência
do olho d’água
desaguar suave sua torrente
não adianta fonte pura
ou perpétuo devir dos rios
como se fosse foz
seu único destino

não basta o rio –
cruzar a vida como esquina
sem banzeiro que revire a via estreita
nem
sorrir pra cantilena ilusória do mar –

carece macaréu em barro & areia
arrancando as árvores revendo
o próprio rumo     estrondo só
sal revoluto
o corpo inteiro em pororoca


***


EXILAR-SE DO CÉU inteirar-se
dos homens     nem mesmo
uma esperança de pousar
no inferno

sentir na pluma a brisa
ilógica do abismo


***



NÃO SE APRENDE A AMAR

o desamar sim
se desaprende

mesmo
aconchegado no extravio do silêncio
sem palavras
sem consolo ou sentido    abraçado
pela profunda presença do fracasso

quando
melhor seria um trago

ou qualquer outro verso
que não seja este

 

***

 

 


 

Livro: Tróiades - remix para o próximo milênio

Autor: Guilherme Gontijo Flores

Gênero: Poesia

Número de Páginas: 25 cartões postais

Formato: 15x20

Preço: R$ 40,00 + frete

 

 

 


 

Livro: Brasa enganosa

Autor: Guilherme Gontijo Flores

Gênero: Poesia

ISBN: 978-85-64308-78-7

Número de Páginas: 158

Formato: 15x20

Preço: R$ 30 + frete