learnex

Denizart Fazio

DENIZART FAZIO

 

Denizart Fazio, autor do livro de poemas Fragmentário, nasceu em Marília (SP) em 1984,  desde 2002 vive em São Paulo, onde passou pela Letras e pela Pedagogia na USP, trabalhou, escreveu prosa e poesia, conheceu pessoas, criou e descriou publicações, teve uma filha; foi muitas coisas e ainda quer ser outras tantas; é de vez em quando, de forma que não se obrigue a continuar sendo. Tenta manter  um sítio com suas palavras em denizartfazio.com

 

Contatos:

Skook de Algarobas Urbanas

 


Conheça 03 poemas do livro Fragmentário, de Denizart Fazio:

 

marreta



é assim que floreio o lápis: riscando
/entrevejo entrelinhas/
linhas
que não estão repousadas
no descanso duro da pauta,
na linearidade obtusa do romper de margem.

escrever nas paredes
/folha que a minha letra entorna/

escrever a marretadas,
escrever em relevo

isso sim deve ser revolução.



***



QUANDO SE NASCE VÁRIAS VEZES
para madalena

o seu primeiro nascer é dentro da terra.
semente que dá fruto e flor,
dentro da terra.

o seu primeiro nascimento
é escondido dos nossos olhos.

vejo a terra crescer
feito monte que se forma mais monte
semana a semana.

lá de dentro há vento
/e suas folhas se movem/.

sinto sua brisa com as mãos,
/eu quase sinto suas mãos/

daqui te alimentamos,
que te cresçam fortes nossas oferendas.
nosso carinho em sua segunda pele
é atrito que aquece nossos braços
para o colo de daqui a pouco,

para seu segundo nascimento,
nosso encontro.

 

***


linha do equador


a menina se coloca frente ao mirante,
no rio
ondular em mangue.

há muito de chuva
e um fim pequeno no horizonte,
linha mata, faixa irregular
que se interrompe.
no meio há sempre mais rio.
/queria conseguir voar/

areia e garças se revezam no olhar.
pequenina
e um rio imenso.

toca sino.

limite entre céu e terra
é mestiçagem.
para.
entre
o mar e as estrelas,
entre o pé e a pena,
a terra e o voo.

/nesse voo que me imenso,
intersecto,
garça,
a asa que bate baixa faz onda,
bate alta, cadência/

/é nessas penas que me componho,
é nesses horizontes que vertigo,
plano/

toca sino.

/nessa imensidão marrom que me faço
murmúrios, vós.
se lento, escondido,
me arisco,
é nessas vozes que encontro meu silêncio/

estamos na linha do equador.


 


 

Livro: Fragmentário

Autor: Denizart Fazio

Gênero: Poesia

Número de Páginas: 120

Formato: 16x23

Preço: R$ 30 + frete