learnex

Artur Rodrigues

ARTUR RODRIGUES

 

Artur Rodrigues, autor do romance Aqui é o crime (Patuá, 2016) e do livro de contos O ato de riscar um palito de fósforo (Patuá, 2013), nasceu em São Paulo, em 1980. Morou também no Recife e em Londres. Foi officeboy, operário, lavador de carros, atendente de telemarketing e garçom. Desde 2003, atua como repórter cobrindo assuntos da rotina da cidade. Atualmente, trabalha no jornal O Estado de S.Paulo.

 

 

 

Contatos:

Skook de Algarobas Urbanas

 

Conheça trechos de dois contos do livro O ato de riscar um palito de fósforo, de Artur Rodrigues:

 

Trecho do conto “Achados e perdidos”


Aquele rosto tão grande, emoldurado pela nevasca, foi a primeira coisa que Alice viu. O frio intenso adormecia-lhe toda. Demorou para que ela sentisse o calor de estar nos braços de alguém. A dor veio assim que ela passou a sentir o próprio corpo. Congelados, os pelos que recobriam a roupa do homem agora pareciam dentes a perfurar-lhe a pele. Alice gritou de dor. O homem não respondeu nem alterou sua passada. Demorou uma eternidade até chegarem a um abrigo. Era uma casinha de madeira, isolada no alto de uma montanha. Assim que entraram, podia-se ver tudo forrado por peles de animais. Uma onda de calor invadiu o corpo dela e foi como se dezenas de pessoas a abraçassem ao mesmo tempo.
Um período de escuridão, que pode ter durado algumas horas ou mesmo um dia todo, se seguiu ao resgate. Assim que abriu os olhos, Alice viu seu salvador sentado em uma cadeira do outro lado do quarto em que se encontrava. Era um lugar acolhedor, apesar da grande quantidade de cabeças de animais penduradas nas paredes. Oi, disse. O homem não respondeu. Oi, tentou de novo. Nada. Então, pela primeira vez, ela analisou com atenção aquele homem enorme. Começou pelos pés colossais, vestidos em meias vermelhas, cobertas por remendos, a calça de material grosseiro e uma camisa xadrez, em preto e branco. Mesmo sentado, ela podia perceber que aquele homem tinha pelo menos duas vezes o tamanho dela. Tamanha altura contrastava com as feições delicadas no rosto do gigante, que ainda não deveria ter completado seus 40 anos.

[...]



Trecho do conto “O ato de riscar um palito de fósforo”


Fiquei trancado em casa por meses, alimentando-me só quando estava prestes a desmaiar e bebendo até cair inconsciente. Com exceção do quarto onde eu passava quase todo o tempo, tudo estava como Isabel deixara. As chaves dela, uma xícara de café pela metade, um jornal velho e uma caixa de fósforos estavam na mesa onde ela costumava passar horas ouvindo música e escrevendo poemas que não mostrava nem a mim. Peguei o jornal da manhã em que ela me deixou, depois de uma madrugada inteira de explicações intermináveis da parte dela e súplicas incansáveis da minha, havia uma guerra em algum lugar, um desses países minúsculos do leste da Europa, e eu quase chorei lendo aquilo. Não que me importasse com aquela multidão de desconhecidos morrendo, nunca fui de me ligar a essas coisas, sempre há uma guerra em algum lugar, o que me incomodava mesmo era o mundo, fui trocado pelo mundo, como competir com Ele? Eu nunca fumei, mas acendi um daqueles fósforos, só por acender, fiquei olhando a chama até tostar meu polegar e meu indicador. Foi nessa hora que senti as mãos de alguém sobre meus olhos, eu fiquei assim, esperando que alguém falasse algo, não era necessário, eu sabia quem era, pelo cheiro, pela textura, o ritmo da respiração na minha nuca, não precisava falar.

[...]

 

 


 

Livro: Aqui é o crime

Autor: Artur Rodrigues

Gênero: Romance

Número de Páginas: 138

Formato: 14x21

Preço: R$ 38,00 + frete

 

 

 

 

 


 

Livro: O ato de riscar um palito de fósforo

Autor: Artur Rodrigues

Gênero: Contos

Número de Páginas: 130

Formato: 16x23

Preço: R$ 35,00 + frete