learnex

Wilson Caritta Lopes

WILSON CARITTA LOPES

 

Wilson Caritta, autor do livro Poemas em autoplágio, nasceu em São Paulo, em 1964. Cursou Direito, mas não concluiu. Ensaia seus escritos desde os 13 anos e estreou seus primeiros poemas em livro na antologia ZeroHora, aos 20 anos. É autor de Rebeldes Azuis (1988) e de O Profeta da Ilha (2002). O livro Poemas em autoplágio foi premiado pelo ProAC - 2012 - Programa de Ação Cultural da Secretaria de Estado da Cultura - e integra a Coleção Patuscada.

 

Contatos:

Skook de Algarobas Urbanas

 

 

Conheça 05 poemas do livro Poemas em autoplágio, de Wilson Caritta Lopes:

 

Autoplágio



Plágio é muito forte
talvez recicle
ao ler do que melhor escrevo,
ser superior ao que falo
não faço
o destino do verso é morrer de presságios.

***

 

III


Cruz na sombra da luz


à guisa sem prumo da luz
a cidade suja de sombras
junto das folhas em cruz

a cidade suja de sombras
junto das folhas em cruz
à guisa sem prumo da luz

junto das folhas em cruz
à guisa sem prumo da luz
a cidade suja de sombras.

***


Fuga de luz


A luz do sol entra na sala
pergunta ao espelho:
onde vai a imagem de luz?
aquela que banho estendida
de braços abertos ao "sentir"

à guisa sem prumo da luz
a cidade suja de sombras
junto das folhas em cruz

fujo dos passos pela estrada
olhos de cobra no contra fluxo
o amor, enchente de mão dupla
quando baixarem as águas
e reaparecer a dor de raiz
seguiu na enxurrada
o que não foi levado
por um triz
arrastado
na risca do giz

a cidade suja de sombras
junto das folhas em cruz
à guisa sem prumo da luz

o jornal de ontem
para ser lido
amanhã
trata do mesmo poder
sem o tempo da frase
um jeito talvez
os mesmos ladrões
avisto
pensam vender
areia da praia

junto das folhas em cruz
à guisa sem prumo da luz
a cidade suja de sombras.

***

IV


Escreva



"Talvez
a carta
seja eterna
de amor
sem destino".

O beijo terno
te entrego
em versos
à parte.

[epígrafes do fim]

faço parte do porquê.


***


Falo do Amor



Talvez a carta seja eterna de amor sem destino.
faço parte, à parte, falo de amor.

Silábicas armações do desejo
amores vividos
pela composição das palavras
e seus efeitos.

Escreva!

Dos amores vividos e seus efeitos
silábicos de desejo
entro em verbos
e a substância é revelada.

Relevo.

O beijo terno te entrego em versos à parte,
talvez a carta seja eterna de amor sem destino.

Escrever é respirar
o nariz desce as mãos
dedos são plenos pulmões

Sou apaixonado
pela composição das palavras
seus efeitos,
armações silábicas do desejo
dos amores vividos,
é este o único
de revelação eterna.

Independe de mim
porque é do que faço parte.



 

Livro: Poemas em autoplágio

Autor:
Wilson Caritta Lopes

Coleção: Patuscada - ProAC - 2012

Gênero:
Poesia

Número de Páginas:
128

Formato:
16x23

Preço:
R$ 25,00 + frete