learnex

Rodrigo Machado Freire

RODRIGO MACHADO FREIRE

 

Rodrigo Machado Freire, autor do romance Como elefantes ao mar, levou o primeiro tapa na bunda em 23/05/1976 na cidade de São Gonçalo – RJ. Mas aí só sabia berrar coisas ininteligíveis! Começa a escrever somente depois de alfabetizado. Vive em sua cidade natal até os 33 anos. Já foi: autônomo contador, porteiro, vendedor, instalador elétrico, apontador (construção civil), professor de violão e de Língua Portuguesa, apesar de cursar Letras/Literatura até o 4º período somente – (2007 a 2009). Muda-se para Goiânia em 2009, onde finalmente encontra tempo para escrever seus romances, além de todos os outros gêneros literários. Foi duas vezes finalista do Prêmio SESC de literatura! Bom, é isto! E ah! Às vezes escreve em 3ª pessoa sobre si mesmo.

 

 

Contatos:

Skook de Algarobas Urbanas

 

Conheça um trecho do romance Como elefantes ao mar, de Rodrigo Machado Freire:

 

"Como se o mundo, o oceano tivesse sido feito para um romance. Um estado de carência lhe derramaria naquilo, embora você viajasse em poetas europeus, embora você pudesse conhecer tudo, aquilo bastava! Era amor, paixão... O que sua filosofia quisesse que fosse! Numa mulher na praia, pegando em suas mãos. Um homem amaria, um homem diria mais... Um homem faria tudo, porque era fácil, era plausível inventar um amor ali com aquelas imagens. Eram perfeitas para qualquer filme. Qualquer um se sentiria um Marlon Brando. Embora existissem mil poesias, sonetos que iam longe das carnes e falassem de um amor de almas, qualquer um sentiria. Fariam poesias falando de nuvens, mas a coisa estava no raso, no chão, os pés nas areias. Achamos finalmente um lugar entre pedras grotescas. Ela me tinha pelas mãos, conversava comigo. Suas palavras tinham um poder de decreto... Você inventa um jeito decente para seu amor vir a existir. No entanto, tudo se arranca é do concreto e dali resvala, fere o que você tem de alma. Duas almas carentes! Eu a sabia carne de alguma coisa, de um universo, sofrida de histórias que vazavam por aquela boca carnuda, mas eu não tinha uma esmola para dar-lhe neste mundo, onde ela continuaria precisando de grana.

- Sei que você tem algo especial para mim. Mas eu não quero isso!"

 

(...)

 

"Era uma inveja da morte, que acontece sem propósito... de uma quietude que na vida que quer passar sobre a cabeça dos outros não encontramos. O fundo do mar, a morte... Não precisava ter pressa, tudo estava ali. A vida era apenas estar insatisfeito com alguma coisa."

 


 

Livro: Como elefantes ao mar

Autor: Rodrigo Machado Freire

Gênero: Romance

Número de Páginas: 150

Formato: 16x23

Preço:
R$ 30,00 + frete