learnex

Renata de Andrade

RENATA DE ANDRADE

 



Autora do livro de poemas Cavalo das almas (Patuá, 2016) e  Contentíssima em Caconde (Patuá, 2014), Renata de Andrade, também conhecida como arxvis, nasceu em Barretos, São Paulo. mudou-se para Amsterdam em 1988, onde fez a Academia de Artes Rietveld, e trabalha como artista plástica desde 1995. Renata foi contemplada várias vezes com a bolsa da Fundação para as Artes e Arquitetura da Holanda (fonds BKVB), por seu trabalho sobre o lixo nas artes plásticas. sua primeira manifestação artística foi um poema, aos 6 anos de idade. desde 2009 mantém um blog, onde publica com frequência seus textos poéticos.

Ela também faz improvisação musical há 25 anos com sua banda, os pacientes.

 

 

 

Contatos:

Skook de Algarobas Urbanas

 


Conheça 04 poemas e ilustrações de Renata de Andrade:

 

pele de poeta pui?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

estou sempre indo 
não sei pra onde 
mas eu vou



quando abri meus olhos de manhã 
os vi velhos, meus olhos 
me viram velha também 

a velhice chegou quando acordei 
e abri meus olhos 

antes era só brincadeira 
de cadeiras, cobra-cega 
rabo-de-burro, jogos no escuro 
um tato intenso, ser jovem 
e injusto e absurdo 
egoísta a perder de vista 

então abriram-se meus olhos 
(as mãos com dedos insensíveis 
artrite de artista, dão testemunho) 

e o ar triste da velhice inalado fundo 
e o exalar do discernimento de ser 
e os olhos já vagos num mar de pensamentos 
e o meu acordar de envelhecer

 

***


entretudo entrementes

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

me alimento comendo a carne morta em torno das unhas


vem meu amor vamos comer a noite
esqueça os sinos, é só metal
os rituais e sacrifícios só metais
talheres e tristezas
esqueça a etiqueta, os afazeres
vamos ao sol de sobremesa

veja meu amor como a fome se foi
nos iremos também depois

***

 

não sou só eu que não sou só eu


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

quando sofro de melancolia
vou e como melancia, ou não
- duas rimas sem solução



nos partimos no amor que morre
somos todos o coração de vladimir
(cada vez mais imortal
o poeta a sorrir nos agradece
e coisa e tal)

vladimir sabe dos amores idealizados
sabe de agostinho, que morreu com a leila
dos voluntários no veneno, sorrindo desdentados
e do pai do menino, o militar que tomou seus amigos
a luz do dia, bem no meio da feira livre
pouco antes de partir também pra margem direita
do lamento

tanta erudição no coração partido do poeta
que ainda bate, violento

***


diferentes passados do mesmo futuro

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

dois lados do mesmo muro:
quando criança destruí as roseiras da mãe
eu adulta, me destrói a mãe as roseiras


fonética temporal:
tudo acostuma
bem ou mal
vira espuma
colossal
coisa nenhuma

 

 


 

Livro: Cavalo das almas

Autor: Renata de Andrade

Gênero: Poesia

Número de Páginas: 150

Formato: 14x21

Preço: R$ 38,00 + frete

 

 

 

 


 

Livro: Contentíssima em Caconde

Autor: Renata de Andrade

Gênero: Poesia

Número de Páginas: 100

Formato: 14x21

Preço: R$ 37,00 + frete