learnex

Marina Bueno Cardoso

MARINA BUENO CARDOSO

 

Autora do livro de contos Petit-fours na cracolândia, Marina Bueno Cardoso nasceu em São Paulo. Graduada em Comunicação Social pela PUC/SP, iniciou carreira como colaboradora das revistas Nova, Cláudia, Playboy e 4 Rodas, sendo indicada como finalista do Prêmio Abril para conjunto de matérias para Nova. Trabalhou no jornal Folha de S.Paulo, no suplemento Casa & Cia. Por mais de 20 anos atuou com Comunicação Empresarial, implantando a área na Nielsen (multinacional de pesquisa de mercado), posteriormente atuou em Assessorias de Imprensa atendendo clientes nacionais e multinacionais. Em paralelo cursou oficinas literárias com o escritor Caio Porfírio Carneiro, e mais recentemente com Ana Rüsche; Fabrício Carpinejar; Ruy Castro e Marcelino Freire. Entre 1993 e 1995 colaborou com crônicas sobre São Paulo para o Jornal da Tarde. Na área de Voluntariado fez trabalho de recreação com literatura para crianças vítimas de violência doméstica (2000), no Abrigo Pinheiros. Foi monitora de Língua Portuguesa para Educação de Jovens e Adultos, no Projeto Ilha de Vera Cruz, do Colégio Vera Cruz. Em 2012 criou a Oficina “Ler é Viver”, multimídia e temática, onde através da leitura de mundo e debates, propicia fundamentos para criação literária de alunos da Educação de Jovens e Adultos da Escola Lourenço Castanho, onde até hoje ministra tal curso. Esta oficina foi apresentada em 2013 no Congresso do ICLOC de Práticas em Salas de Aula. Seu sonho, um mundo melhor através da Educação, leitura de mundo e a consequente participação na construção dos caminhos do país, tendo seus alunos como protagonistas da história.

 

Contatos:


Conheça o prefácio do livro Petit-fours na cracolândia, escrito por de Ignácio de Loyola Brandão:

 

Se você acha que todos odeiam dentistas, não conhece Marina. Veja o que ela diz: “Passada no dentista. Motorzinho bom, fecho os olhos”. Se pensa que uma mulher não pode ser conquistada no Jardim da Luz, entre aqui. Se acredita que não existe um homem feliz em São Paulo, se engana. Marina descobriu um. Minha gente, tudo depende do olho e da mente e da alma. Aqui está uma nova cronista a fazer recortes de uma cidade, uma sociedade. Ela segue e colhe, captura, conquista, agarra pessoas, situações, momentos inusitados.

Descobre, sim, vejam só, uma camélia fúcsia a gargalhar flores.

Descobre sorrisos numa cidade sisuda.

Porque procura sempre poesia, alegria. Eu tinha certeza de que o lirismo desaparecera até me deparar com Marina, que revitalizou a palavra, os gestos, movimentos, ações. Ela recolhe personagens entre os anônimos, os humildes, os desgraçados, os tarados, os infelizes, solitários, humilhados, fodidos, esquecidos, miseráveis, esfomeados. Com compaixão.

Marina conhece a cidade, o mundo, ouve, conversa, fala, recolhe, engole, cala, consente, perturba-se, critica, ama, admira, detesta, sorri, chora, grita, peripatética.

São Paulo ganha com este livro uma nova cronista, uma observadora de lupa, binóculo, câmera na mente, no estômago, no coração, no sexo. Ligada, focada, numa panorâmica de 360 graus.

Marina, observadora, apaixonada, tarada, alucinada. Ela é da cidade, a cidade é dela, e, de repente, vemos tudo com outro jeito de olhar, enlouquecer, desatinar e amar.

Faltava um minuto para entregar o texto, recebi um e-mail de Marina:

Ontem, fui a Tatuí, onde recebi o Primeiro lugar na categoria Crônicas, com a crônica que dá nome ao livro “Petit-Fours na Cracolândia”. Foi o 10º Prêmio Paulo Setúbal de Contos e Crônicas, organizado pela Prefeitura de Tatuí, onde Paulo nasceu. Fiquei muito feliz. Agora é com os leitores.

 


 

 

Livro: Petit-fours na cracolândia

Autor: Marina Bueno Cardoso

Gênero: Crônicas

Número de Páginas: 140

Formato: 16x23

Preço: R$ 38,00 + frete