learnex

Vlado Lima

VLADO LIMA


O autor dos livros de poemas Como suportar jabs no baço e encarar nocautes (Patuá, 2015) e Pop Para-choque (Patuá, 2012) possui poderes intermináveis. Não terminou o catecismo, não terminou a faculdade de jornalismo, nem o curso de datilografia. Especializado em fazer inimigos, contar piadas de caipira e falar da vida alheia. Nunca foi à Bahia. Odeia João Gilberto e não suporta filme iraniano.

Gosta da bisteca do Sujinho, revistas do Aranha, Pernalonga, Clint Eastwood, Sabrina Sato, Smiths, Neil Young, Sérgio Sampaio, Leonard Cohen, Henry Miller, Bukowski, Hammett e Fante. É viciado no sanduba de pernil do Estadão e tem saudades da Seleção de 82: Sócrates, Zico, Júnior e Falcão. Lembra?

Também é compositor, poeta e agitador cultural. Tocou em botecos de 3ª do velho oeste e até num extinto inferninho da Avenida Pacaembu, foi demitido deste último, segundo as meninas da casa, porque “tocava” demais. Montou e liderou algumas bandas, entre elas a Amalgama, a Divina Decadência, Kanalhas Futebol Clube e os Tropeçalistas. Todas foram pro brejo. Participa como um dos compositores fundadores do Clube Caiubi.

É autor da polêmica música euodeiocaetanoveloso.com.br e produz o concorrido sarau Sopa de Letrinhas.

 

Contato:

Skook do livro Incensário


Conheça 03 poemas do livro Como suportar jabs no baço e encarar nocautes, de Vlado Lima:

 

COMO SUPORTAR JABS NO BAÇO E ENCARAR NOCAUTES



nem ouro nem farinha nem Lucy no Céu com Diamantes
muito menos o neon hipnótico da Las Vegas Evangélica
ou o mármore branco de Allah com 72 bucetas Zero Km

o que me faz levantar os lábios da lona
suportar jabs no baço e encarar o próximo nocaute
é a esperança de ter esperança

750 gramas de esperança
e eu reboco uma manada de fuscas paraplégicos
pela subida da Brigadeiro Luiz Antônio

750 gramas de esperança
e eu cruzo as Cordilheiras sobre a sombra de Simon
só pra plantar sementes de acácia nas ravinas de Atahualpa

750 gramas de esperança
e eu limpo os estábulos de Aúgias
com um cotonete e uma pedra de sabão Minuano

750 gramas de esperança
e aquela Coca-Cola com cicuta na geladeira
vira apenas uma possibilidade

***

 

AQUÉM DA CÚPULA



compartilhei silêncios
ninguém curtiu

aqui /
aquém
da cúpula virtual
/ o real
não vale 1 Real
rasgado

tudo é
pose & pet

(...)

invisibilizei meu perfil
montei minha mobília numa ilha lá na lua
e anunciei no balestreiro da garagem
: maluco vende tudo!

vou correr trecho (acho)
virar Diadorim sobre as veredas do sertão
sem fim

axilas ao sol

quem perguntar por mim?
: fui ali exalar exílios

***

 

A CAMISETA, O LIVRO, A ESTRELA E 77 POEMAS MEDÍOCRES




na tumba funda
da lira (ingênua)
dos meus 20 & poucos anos
entre restos sobras sombras ossos e fósseis
achei uma camiseta do Che
uma edição de As Veias Abertas da América Latina
uma estrela vermelha do PT
e um caderno brochura com 77 poemas das minhas primeiras fornadas

todo mundo é revolucionário e poeta aos 20 & poucos anos
(...)

aqui
na cova rasa
da lógica (cínica)
dos meus 40 e tantos
o Guevara desbotado virou pano de chão
Galeano foi morar num sebo
o caçulinha de minha irmã é xerife em Lego City
e a penca de versos verdes se desfez em cinzas sobre o Tietê

ninguém é revolucionário e poeta aos 20 & poucos anos
(.)



 

Conheça 04 Poemas do livro Pop Para-choque, de Vlado Lima

 

OS TIOZINHOS DA MESA DO CANTO
para Gaúcho, Anibal e Dimi, com carinho


4 (às vezes 5) tiozinhos sentados na mesa do canto
quase todos gordos carecas doentes falidos ou desempregados
sentam-se ali há anos
religiosamente
toda quinta-feira
na velha mesa do canto de cara pra Faustolo
sentam-se ali há anos
com suas barrigas
suas dentaduras
suas próstatas delicadas
seus pânicos & panes
suas receitas secretas de como obter sucesso
comer mulheres e influenciar pessoas
e seus planos infalíveis de bombardear Manhattan Oriental


4 (às vezes 5) tiozinhos sentados na mesa do canto
acho que eles estão morrendo
tem noites — quando já estão pra lá da 4ª dose
— que dá até pra ouvir seus pensamentos
(:)
quem cuspirá na cova de quem?
quem contará piadas no velório de quem?
quem consolará a viúva de quem?
quem
herdará a solidão da mesa?


***


ÁLBUM DE FAMÍLIA II: O HOMEM QUE COMEU MINHA MÃE




o homem que comeu minha mãe —


o primeiro —

era moreno

meio mouro

meio bugre

o cabelo preto muito preto

e uma lábia de vendedor de enciclopédias 



o homem que comeu minha mãe
chegou no lombo de uma Caloi
cowboy nordestino
de sapato bico fino
calça pantalona
brilhantina no cabelo
e uma peixeira calibre 22
minha mãe caminhou sobre as águas
tocou banjo com anjos alcoólatras
e passou merthiolate nas chagas de Cristo


o homem que comeu minha mãe
foi embora no intervalo de um Corinthians e Bangu
disse que ia comprar cigarros
e desapareceu numa nuvem de gafanhotos
minha mãe desceu à mansão dos mortos
lambeu as sarnas de Cérbero
e pariu crisântemos nas vielas do inferno
virou uma bruxa chocha com o coração de jiló
que em noites de TPM cospe relâmpagos de sal

as vezes a velha olha através de mim
: tu és a cara do teu pai!

***


UM SUJEITO SENSÍVEL




anti-romântico, eu?
não
sentimentalmente econômico, mamãe diria
lacônico?
magina
lembra daquele “acho que gosto de você”
que soltei no verão de 97?
sim,  sou um sujeito sensível sim
as vezes sinto uns lances estranhos dentro de mim
pensei que fosse amor
saudade
paixão
mas o meu gastro me garantiu que são apenas gases

***

150 ml de Januária e ela ficava linda




trepamos ali mesmo
no banheiro do bar
com gente batendo na porta e tudo
não sei se era noite/dia
se Gojira rugia
ou se os Chinooks da Divisão de Kandahar
voavam sobre os restos do Buda dinamitado
lembro apenas que levantei seu vestido
abaixei sua calcinha
e
CRAU!
(...)
pernas
peitos
pêlos
cabelos
boca
bunda
suor
saliva
(...)
loucura, meu!
loucura total
e olha que ela nem era tão bonita assim
e olha que ela nem era tão gostosa assim
oxalá —  
aquilo lá —
fosse mulher do sexo feminino
(...)


cachaça e pau duro
são duas coisas que não combinam
(.)

 

 


 

Livro: Como suportar jabs no baço e encarar nocautes

Autor: Vlado Lima

Gênero: Poesia

Número de Páginas: 150

Formato: 16x23

Preço: R$ 35,00 + Frete

 




 

Livro: Pop Para Choque

Autor: Vlado Lima

Gênero: Poesia

ISBN: 978-85-64308-18-3

Número de Páginas: 150

Formato:
16x23

Preço: R$ 30,00 + Frete

 

 

 




PROMOÇÃO - COMO SUPORTAR JABS NO BAÇO E ENCARAR NOCAUTES + POP PARA-CHOQUE, DE VLADO LIMA:
R$ 60.00 + frete único para todo país --